Prazeres da Existência.

Pão Essênio pronto e no mesmo dia reparti um dos pães com meu pai. Comemos todo ele sem nada por cima, só o pão de tão bom que estava.

Meu amado Pai é um homem muito exigente quando o assunto é pão. Ele vai a Nova Petrópolis para buscar o que ele considera ser um pão de verdade, diz que em Porto Alegre não tem pão que lhe agrade. Pois bem, ofereci o Pão Essênio recém pronto ao meu pai e segundos de quietude se seguem. Logo uma exclamação rompe o silêncio:

Bah, mas que maravilha esse pão ! ! ! !

Isso que meu pai é muito sincero e não tem receio de dizer o que pensa.

Bueno, no outro dia eu preparei uma singela GuacaMole para comer com o outro Pão no meu café da tarde. Foi muito fácil e divertido.

Eu já tinha um belo Abacate e por isso só precisei colher os tomates e os temperos.

Encima do vidro todas as ferramentas utilizadas para fazer a GuacaMole:

Os temperos que não vieram do pátio vieram da janela da cozinha, 🙂

Todos temperos são somente folhas de plantas que seguem vivas, felizes e faceiras. Por onde um dia escorreu outra coisa, hoje escorrem tomatinhos recém colhidos, 🙂

Poucos instantes depois e tudo pronto, aproveito e vou comer na companhia dos meus amigos Mel e Matheus.

Pronto, poderia ter terminado aqui não fosse o interesse da galera em volta sobre o que de tão bom que eu estava comendo.

Agora sim se foi toda Guaca e todo Pão Essênio.

Estar vivo e em boa companhia.

Alegria, alegria.

O pão dos Essênios.

Os Essênios foram um grupo de judeus que existiu na mesma época de Jesus Cristo.

Pelo idealismo ético e pela busca por pureza espiritual alguns historiadores consideram que os essênios foram os precursores do Cristianismo.

Eles eram Veganos Crudívoros, aboliram a propriedade individual e em seu meio não haviam escravos. Livres, trabalhavam em comunidade vivendo do que produziam.

Muito tempo se passou depois que eles deixaram de existir por causa da Grande Revolta Judaica em que os romanos destruíram Jerusalém porém os Essênios nada tinham que ver com a história, eles não deviam nada a ninguém, eram independentes e mesmo assim foram dizimados. Por sorte em 1946 foram descobertos pergaminhos sobre esta extraordinária civilização dentro de jarros de argila, escritos em hebraico antigo e dentro de grutas de um oásis próximo ao Mar Morto.

Eu acredito que podemos reascender essa vida independente e em comunidade. Muitas já são as pessoas que plantam ao redor de suas casas e que para o que não produzem conseguem com seus vizinhos.

O caminho para esta independência passa por ignorarmos o que é supérfluo e buscarmos uma vida simples e como recompensa nos tornamos pessoas leves, felizes e faceiras.

Entre muitos ensinamentos, os pergaminhos do Mar Morto também ensinam a fazer o pão dos Essênios e como era de se esperar é muito simples.

Deixamos o trigo e o centeio imersos em água por uma noite, assim ele inicia o processo de germinação e se torna um grão extremamente nutritivo, tenro e saboroso. Preparamos temperos como Cebolinha, Salsa e Alecrim, juntamos e trituramos tudo junto com uma metade de grãos de Linhaça que ficaram de molho em muito pouca água que vira gel em uma hora e a outra metade de Linhaça seca.

Levamos a mistura ao encontro das duas bandejas de metal que nos esperavam ao Sol. Lá esticamos a massa bem fininha e fexamos com um vidro criando assim um forno.
`
Pelo menos 4 horas de Sol e temos o pão muito mais nutritivo, muito mais gostoso e que gastou muito menos energia entre todos os pães que foram feitos no mesmo dia em outros lugares. Temos o pão como um singelo exemplo de um em incontáveis aspectos em que a humanidade envelheceu e regrediu.
Mais duas fornadas de pão saindo, quem quer dividir?

Lugar de Médico é na Cozinha :)

Já a alguns meses eu estava me alimentando somente de alimentos crus na minha casa. Estava bem por este equilíbrio entre Alimentos Crudívoros em casa e alimentos mais complexos na rua. Aí o livro do querido dr. Alberto Peribanez Gonzales chegou às minhas mãos e a medida que meus olhos iam decifrando o profundo conhecimento contido no livro sobre a vida e sobre nutrição eu decidi, mesmo antes de terminar a leitura, que iria sempre levar alguns alimentos comigo e repartir eles com quem eu encontrasse em meus caminhos pela vida.

Fico fantasiando que um dia todos os médicos poderiam ser exemplo de saúde e paz espiritual. Assim como eu, muitos admiram os que seguem a carreira para se tornarem doutores afinal são aqueles que dedicam a vida para cuidar da saúde de outras pessoas. Eu tenho a sorte de ter muitos doutores como meus parentes próximos inclusive meu pai e meu irmão os quais eu admiro e amo como se não houvesse o dia de amanhã mas percebo que muitas vezes os médicos se esforçam tanto para cuidar dos outros que esquecem de cuidarem de si mesmos.

Na minha visão qualquer pessoa que seja que cuide da própria saúde, que demonstra compaixão por todos os seres, ela mesma esta praticando medicina preventiva pois ao servir de exemplo mais e mais pessoas irão passar a cuidar de si mesmas e dos outros. “Ame ao próximo como a ti mesmo.” Sabedoria muito bonita vinda do Cristianismo.

 

Le Grand Chef Alan Chaves !

Como de costume, sábado é dia de ir na feira orgânica da Redenção.

Estou sempre lá, quando tem ensaio com a orquestra chego na feira de bicicleta ao meio dia e meia, logo antes dos agricultores começarem a desmontar os estandes. Quando tem folga no sábado chego lá entre 10 e 11, sempre a pé e descalço, na companhia da Mel e do Brother que além de também irem descalços sempre me acompanham pelados ! 🙂

Depois que passei a me alimentar só de alimentos no estado mais natural possível eu continuei acompanhando meus amigos a diversos restaurantes mas sempre levo comigo frutas, Nozes, Amêndoas, Castanhas, creme de amendoim… Só que nas estonteantemente deliciosas refeições que o meu grande amigo e Grand Chef de cozinha Alan Chaves prepara nos sábados e domingos ao meio dia no Bonobo eu tinha deixado de ir até que sexta-feira passada ele me disse que sempre que eu fosse ele faria um prato de salada para mim.

Não teve outra, apareci lá no sábado depois de ir na feira com a minha bike de trilha, carregando nas costas uma mochila que pesei em casa e deu 24Kg!

Fiquei esperando a salada na companhia do meu grande amigo Cadu e logo mais também na companhia dos queridos João e Naza.

Minha expectativa era que eu iria ganhar um bonito prato de salada mas logo chegou uma exuberante refeição crudívora preparada com muito carinho, chegei a ficar com as orelhas quentes tamanha alegria em ver aquele prato e demonstração de afeto:

No meio dos brotos, castanhas, passas, cenoura, rabanete, alface e das folhas de repolho decoradas com fatias de carabola estava o Quibe de Trigo que todos da minha mesa provaram e concordaram comigo que estava estonteantemente gostoso. Lembrei da técnica que a Luiza me ensinou e fexei os olhos para poder curtir mais profundamente os diversos sabores e sutilezas do alimento.

Gratidão Alan Chaves!

Amor à mesa, está servido, :)

Encantados como eu nos primeiros contatos com a Alimentação Viva muitos amigos se interessam e me convidam a prepararmos juntos refeições crudívoras na minha e em suas casas.

Os momentos mais recentes de pura alegria se passaram na casa do Palito onde nós dois preparamos, junto com toda a família dele, um jantar muito lindo.

Todos ajudaram a cortar, ralar, lavar e compor os pratos. Uma das grandes alegrias da Alimentação Viva é que passamos a maior parte do tempo nos alimentando e o rápido processo de preparar o alimento é divertido e pode unir a família toda.

O próprio tempo da alimentação se torna lúdico pois os pratos são sempre multi coloridos, alegres e nos inspiram a brincar. 

Logo mais chega mais uma integrante para o banquete:

A medida que nos deleitávamos com a refeição as iguarias iam se apocando… 

Mas, porém, entretanto para um Grand’ Finale ainda tinha uma sobremesa de Creme de Amendoim e Linhaça com Passas de Uva, Castanhas e Nozes

Bem vindos, :)

Pessoas mais amadas deste mundo, é com uma enorme alegria que dou início a uma conversa com vocês sobre as descobertas que eu já fiz, que irei fazer e sobre as idéias e descobertas de vocês para tornar a nossa existência mais leve e por consequência nos tornarmos pessoas cada vez mais felizes, 🙂

A idéia começou no FaceBook em que a alguns meses eu comecei a postar fotos e pequenos relatos das minhas primeiras aventuras na culinária viva em que nenhum alimento passa pelo fogo o que segundo a filosofia da Alimentação Viva faria com que os alimentos perdessem várias qualidades nutricionais além de perdas ao paladar mais sutil.

A aceitação de meus amigos foi tão grande, trocamos tantas idéias, foi tão bonito que me deu força para seguir investindo nessa troca que não se limita à alimentação mas a absolutamente todos nossos aspectos existenciais.

Estes linkes levam às duas páginas do FaceBook onde publiquei várias fotos e relatos sobre o que é essencial, sobre Alimentação Viva, Babosa, Liberdade, Arte, e por aí vai. Todos podem acessar mesmo quem não tem uma conta no site:

http://www.facebook.com/media/set/?set=a.10150279011489562.331828.590979561&type=1&l=a28c5ad58a
http://www.facebook.com/media/set/?set=a.10150366086334562.349526.590979561&type=1&l=ef6722fb58 

Abraços e beijos a todos e vamos ao primeiro Post, 🙂